Bem-vindo ao website da Schneider Electric

Bem-vindo ao nosso site.

Pode selecionar outro país para consultar os produtos disponíveis ou aceder ao nosso website global para obter informações sobre a empresa.

Escolha outro país ou região

  • Fabricantes de alimentos e bebidas: Melhorem o ROI do seu programa de sustentabilidade

Worker inspecting goats milk in dairy, food and beverage, machine control.
Fabricantes de alimentos e bebidas: Melhorem o ROI do seu programa de sustentabilidade

Fabricantes de alimentos e bebidas estão promovendo agora responsabilidade corporativa e obtendo um claro retorno de investimento através dos programas de sustentabilidade. Na verdade, comparado com outras indústrias, o setor de alimentos e bebidas lidera as ações de cumprimento das regulamentações governamentais e de divulgação das informações de emissões de carbono.

Entretanto , a pressão está aumentando para haver mais transparência operacional, motivada por escassez de recursos, custos crescentes da energia e regulamentações mais rígidas. Os clientes querem saber mais sobre as marcas que compram, e as agências regulamentadoras querem garantir que os fabricantes de alimentos e bebidas preservem o meio-ambiente e a responsabilidade social.

Montando um caso para programas de sustentabilidade sofisticada
Estimativas calculam que 10% das emissões do mundo se originam na área de fabricação, e as empresas industriais têm o potencial de melhorar os níveis de emissões em 26%. Uma pesquisa da Accenture em 2010 mostrou que 72% dos CEOs acreditam que fortalecer a reputação da marca e confiança entre os consumidores e os governos é o maior motivador para ações de sustentabilidade. Além disso, 49% dos CFOs de indústrias de alimentos e bebidas percebem uma correlação significativa entre desempenho da sustentabilidade e desempenho financeiro, de acordo com um white paper de 2012 divulgado pela Deloitte.

Uma comparação entre empresas de manufatura listadas no Índice de Sustentabilidade Dow Jones demonstra que essas empresas ganharam uma margem de lucro maior do que outras empresas. Um estudo da UC Davis documentou aumentos significativos nos preços de ações de organizações que voluntariamente anunciaram informações sobre emissões de carbono através de comunicados à imprensa. Em um estudo sobre comportamento do consumidor, os pesquisadores concluíram que considerações de sustentabilidade direcionaram ou influenciaram as decisões de compra de mais da metade dos consumidores entrevistados, de acordo com a Deloitte.

Uma abordagem comprovada: Integrando sustentabilidade e gestão de energia Gernciamento da sustentabilidade e da energia são programas sinergéticos que, para se obter melhores resultados, devem estar integrados e serem executados em conjunto. A integração desses programas de uma forma estruturada pode produzir benefícios, como custos reduzidos, maior rentabilidade, menores emissões de carbono, riscos comerciais minimizados, e melhor imagem corporativa.

Uma melhor prática para elevar o programa de sustentabilidade de um fabricante começa com uma abordagem utilizada em todo o mundo: "Planejar / Fazer / Verificar /Agir", conhecido pela sigla PDCA.  

Este método enfatiza a estrutura da norma de qualidade ISO 50001 (especificação para um sistema de gestão de energia), e é composto desses passos:

  • Planejar - Desenvolve um roteiro para a gestão de sustentabilidade e energia, para definir objetivos e metas, e formalizar os planos de ação.
  • Fazer - Implementa as práticas de qualidade da norma ISO 50001, prioriza e implementa iniciativas de eficiência; e acompanha métricas de energia, água, resíduos, e conformidade dos fornecedores.
  • Verificar - Acompanhar iniciativas de eficiência, relatar medições e usar KPIs para acompanhar o progresso.
  • Agir- Conduzir análise para determinar a causa de quaisquer diferenças significativas entre os resultados reais e os resultados planejados para a economia de energia; identificar novas oportunidades de economia; compartilhar melhores práticas em toda a organização; e asseguar melhoria contínua, incorporando as atividades de energia e sustentabilidade nas operações da empresa.

Remover obstáculos que dificultam o planejamento da sustentabilidade
Diversos desafios complicam a tarefa de estabelecer um mapa efetivo da gestão de energia e sustentabilidade. Por exemplo, o desempenho energético varia amplamente, dependendo dos processos utilizados na fabricação de alimentos e bebidas, tornando difícil a referência. Processos que já proporcionam ganhos de eficiência preciam de apoio contínuo para manter esses ganhos. Além disso, os "frutos ao alcance da mão" dos ganhos evidentes da eficiência muitas vezes já foi colhidos. À medida que cresce a pressão para aumentar a eficiência, novas melhorias de eficiência podem ser mais difícil de encontrar e implementar.

Implantar melhores práticas PDCA pode superar esses desafios, pois elas enfatizam a conformidade com a norma ISO 5001 para misturar a gestão da energia e da sustentabilidade com metas empresariais, e também fornecer um guia para estabelecer processos internos para melhoria contínua.

Os programas de gestão da energia e da sustentabilidade minimizam o risco do aumento dos preços das matérias-primas e da energia, e um programa bem executado pode reduzir os custos da energia emtre 10 a 30%. Sucessos em sustentabilidade ajudam organizações a superar concorrentes, em um ambiente caracterizado por condições de mercado difíceis.  

Saiba mais sobre o método PDCA (Plan / Do / Check / Act) fazendo o download deste white paper da Schneider Electric: “Acelerando os benefícios dos programas de sustentabilidade para indústrias de alimentos e bebidas: Um guia de melhores práticas.”
Saiba mais